Visão e missão

Visão: um mundo sem Cesvitem

O principio que impulsiona a atuação do Cesvitem no Sul do mundo é a idéia de “autodesenvolvimento”: desde 1987 até hoje, o esforço tem sido o de criar as oportunidades para um crescimento real e sustentável do nível de bem-estar das povos dos países em vias de desenvolvimento, a fim de que essas oportunidades sejam utilizadas em primeira pessoa pelos mesmos povos.  Apenas agindo assim é possível pensar em eliminar as diferenças entre o Norte e o Sul do mundo, sem repetir constantemente os esquemas de dependência econômica, cultural e política.
Por tudo isso é que a nossa visão e o nosso sonho é um mundo sem Cesvitem. Trabalhamos para atingirmos a afirmação da justiça social e uma distribuição da riqueza mais igualitária. Para garantirmos aos povos do Sul do mundo o direito de serem protagonistas da construção de seu futuro. Por um mundo onde não exista mais a necessidade da nossa intervenção como “intermediários do desenvolvimento”.

Missão: desenvolvemos a educação, educamos para o desenvolvimento

Ação Sul: desenvolvemos a educação

A promoção do direito a educação é o passo fundamental para oferecer a todos as mesmas possibilidades, para darmos as crianças de hoje as ferramentas para que elas possam fazer suas próprias escolhas e se tornar em parte ativa da sociedade e do mundo. Por isso, o direito a educação não deve ser considerado apenas um direito subjetivo da pessoa, mas também um investimento fundamental para o autodesenvolvimento dos povos: a falta de educação priva a uma pessoa não só do seu potencial, mas também a sociedade inteira dos fundamentos do seu próprio desenvolvimento. Por esses motivos é que estamos engajados em:

  • eliminar todas as causas (sociais, econômicas e estruturais) que impedem o acesso ao ensino
  • garantir a paridade de acesso para meninos e meninas
  • contribuir no melhoramento da qualidade do ensino, melhorando a dotação de infra-estruturas escolares e a formação dos professores
  • promover atividades de formação voltadas à população adulta, a fim de criar melhores condições de vida também para crianças e jovens
  • impulsionar o ensino técnico - professional superior e universitário, a fim de favorecer a formação de quadros intermediários capazes de gerir e iniciar atividades econômicas locais
  • patrocinar projetos produtivos que, por uma parte, permitam as famílias, suas crianças e jovens, de ter um melhor ambiente de vida, por outro lado, que favoreçam a inserção no trabalho, também junto com tarefas de responsabilidade, de jovens locais que tenham encerrado seu ciclo de estudo

Ação Norte: educamos para o desenvolvimento

Na tentativa de promover o autodesenvolvimento do Sul do mundo, a função dos povoadores do Norte não pode ficar limitado ao assistencialismo e a manutenção econômica. o sucesso daqueles processos depende de uma mudança radical da conceição de desenvolvimento, porque o modelo sobre o qual baseamos o nosso bem-estar está evidenciando todos seus limites, ambientais e de justiça. Por isso propomos de andar até os povos do sul, aceitar novos modelos e estilos de vida, criar juntos um novo equilíbrio e uma nova idea de desenvolvimento “sóbrio” a fim de construir um mundo melhor e, principalmente, justo. Por isso engajamo-nos em:

  • promover o diálogo intercultural, percebido como um reforço da consciência, do respeito e da solidariedade recíproca entre os povo
  • promover uma nova idéia de desenvolvimento que, a partir das necessidades do sul do mundo e da responsabilidade com as gerações futuras, visando à sobriedade e a justiça
  • promover uma tomada de consciência do poder que tem os nossos gestos quotidianos e da responsabilidade que temos ao respeito
  • envolver nestas prioridades principalmente os jovens, convencidos de que o futuro está nas mãos das novas gerações

Traduzido ao Português no âmbito da iniciativa de traduções gratuitas das páginas web para associações do Mondo Services. Tradutor: Sheyla Saade Marquis