Projeto Ohacalala

Projeto Ohacalala: origem

Mais informações

Origem do projeto

O projeto de apoio a distancia Ohacalala ("felicidade" em macua, uma das línguas faladas em Moçambique), levado adiante na Itália pelo Cesvitem, é administrado pela Watana ("unidade" em macua), uma associação sem fins lucrativos criada em 2002 por uma dezena de rapazes moçambicanos. Dentre eles, cinco ex-estudantes da Escola Industrial de Carapira (EIC), um dos institutos técnico- profissionais de maior prestígio de Moçambique, restaurado pelo Cesvitem durante os primeiros anos da década de 90, após o fim da guerra civil. Dois daqueles ex-estudantes (Adolfo Hilario Saquina e Jacinto Vahocha), com o apoio econômico do Cesvitem, formaram-se na Itália no ano 2000 no Instituto técnico industrial Pacinotti de Mestre (Veneza). Quando retornaram ao país, além de ter ingressado no corpo docente do EIC, criaram a Watana, com o fim de promover iniciativas em favor da infância em desvantagem.

Em 2002 Watana realizou uma pesquisa em alguns vilarejos do distrito de Monapo (provincia de Nampula, Moçambique setentrional), onde fica a sede da associação: é assim que foi possível comprovar a existência de mais de 3.000 crianças em condições precárias, imputáveis ao alto índice de mortalidade infantil, ao elevado número de órfãos, ao abandono precoce dos estudos, aos recursos limitados das famílias. A fim de contribuir a resolver estas questões, a Watana iniciou o projeto Ohacalala, voltado a crianças selecionadas entre aquelas mais necessitadas de ajuda.

Traduzido ao Português no âmbito da iniciativa de traduções gratuitas das páginas web para associações do Mondo Services. Tradutor: Sheyla Saade Marquis