Projeto Esperança

Projeto Esperança: origem

Origem do projeto

O projeto de apoio a distancia Esperança foi criado pelo Cesvitem junto com a Delegação da Bélgica de Médicos Sem Fronteiras em alguns bairros periféricos de Maputo, capital do Moçambique. Desde 2002, MSF oferece assistência nestas áreas à pacientes com HIV-Sida, garantindo assessoramentos e tratamentos especializados através do GATV (Centro di assessoramento e testes voluntários), oferecendo também assistência domiciliar aos doentes de fase avançada, fornecendo fármacos de maneira gratuita, acompanhando as mulheres HIV+ em estado de gravidez a fim de prevenir a transmissão do vírus para o feto.

Ao redor deste projeto tem sido criada uma ampla rede de atividades que, graças ao trabalho conjunto de varias organizações e associações oferece um apoio social, jurídico e alimentar às vítimas de Sida e as suas famílias.  Por convite de Médicos Sem Fronteiras, desde janeiro de 2004, o Cesvitem participa das iniciativas com o projeto Esperança. Os beneficiários são crianças e jovens vítimas do Sida, cujos pais são HIV+, geralmente na fase terminal ou estão já mortos; alguns destas crianças são, à sua vez, HIV+.  Os nomes são indicados pela MSF-Lux, que escolhe entre os casos mais urgentes e graves. Desde janeiro de 2006 funciona, no escritório de Maxaquene C, o Centro Esperança, uma estrutura multifuncional e ponto de referencia para os operadores, as crianças envolvidas no projeto e as suas famílias.

Traduzido ao Português no âmbito da iniciativa de traduções gratuitas das páginas web para associações do Mondo Services. Tradutor: Sheyla Saade Marquis